15 novembro 2015

BOLO DE BATATA DOCE

As lojas convidam-nos a entrar. A sentir o ambiente natalício pintado a vermelho e branco, metalizados mais arrojados, os alternativos azuis noite e rosa cintilante, ou num tom mais rústico, mais quente, mais natural, cheio de magia, as madeiras cheias de neve, um bosque encantado povoado com os animais mais amorosos da estratosfera, as bolotas e as estrelas, as pinhas e as coroas salpicadas de leves prateados, renas e trenós, as mantas brancas felpudas, um verdadeiro sonho... seja qual for a decoração que irão escolher para este ano, encham esses corações de luz, fé e magia.

03 novembro 2015

Cheesecake de Abóbora


Isto o melhor da festa são mesmo as sobras que habitam no frigorífico à espera do mais guloso ataque de gula. Ficam a apurar, maquiavelicamente no ponto em que alguém não resiste e cai de boca a uma dentada feroz. No silêncio de uma lua cheia, seria perfeito, até mesmo romântico, não fossem os meus filhos estarem ambos doentes e o mais novo ter inundado a minha cama de uma virose monstra que nos acorda de hora a hora. E raios... não é para comer cheesecake na calada da noite! É para procurar em modo zoombie o frasco de brufen mais próximo (e o irritante doseador que nunca está dentro da embalagem), ligar o aerossol à tomada, injetar-lhe o soro e esperar pelo grito de silêncio... até que a tosse acabe e eu, consiga com proeza e destreza, dormir 2 minutos de uma profundidade tal... que me pareceu ter ido lamber ali a ganache do último da fila.

02 novembro 2015

GLAM HALLOWEEN


Noite de Halloween! Preto, branco e dourado. Nada mais glam, nada mais giro. Detesto roxos e cores familiares, detesto bruxas com e sem vassoura, zombies, múmias e criaturas petrificadas pelo medo que este dia possa suscitar. Gosto de apontamentos requintados, que assinalem a data e marquem a memória de quem por ela passa. Adorei criar cada detalhe desta festa, tanto na parte doce como na salgada. Os morfes obedeceram a semanas de escolhas, indecisões e alterações. Muita tinta rolou debaixo da luva e alguns cacos com ordem para reciclar, tornaram-se aliados com vida própria. Vamos lá saber como tudo aconteceu...